sexta-feira, 13 de julho de 2012

SARAMAGUEANDO



Já, mais de uma vez, por aqui se falou da importância que José Saramago dedicava à correspondência trocada, não só entre os seus pares, mas também com os seus leitores.

Estas cartas que José Saramago trocou com José Rodrigues Miguéis, e vice-versa, reunidas em volume pela Editorial Caminho, dizem respeito ao tempo em que José Saramago esteve à frente da parte editorial e administrativa na Editorial Estúdios Cor.

Volta e meia virei aqui com excertos das cartas que ambos trocaram:

Afinal, a sua ilha «deserta» de não sei quantos milhões de habitantes, para onde algumas vezes lhe ouvi dizer aqui que lhe apetecia fugir, não tem já solidão bastante para o fazer esquecer os 100 terríveis metros da calçada do Chiado, o Chiado-de-Espingarda-ao-ombro, igualzinho e tão provinciano como o Freixo-de-Espada-à-Cinta! O viajante das sete partidas, o homem instável, o calcorreador de horizontes, suspira pelas raízes que começavam a romper-lhe a sola dos sapatos! Era de esperar: também o pintor enamorado da anamita muitas vezes se lembrou da parvónia, do Aterro, da Avenida dos Aliados, destes quatro palmos que medem Portugal… Pois cá o esperamos e que venha em bem como dantes se dizia.

Da carta de Saramago para Miguéis, datada de Lisboa no dia 16 de Setembro de 1959.

Migueis responde de Nova Iorque no dia 27 de Setembro:

As agruras do exílio de Migueis deixavam-no destroçado: dificuldades económicas para sobreviver, o estar longe de amigos e familiares amarguravam-no. No final da carta desabava:

Desculpe o tom corrido –o exílio obriga-me a escrever dezenas de cartas, o que me arrasa. Para não se lhe tornar pesado escrever-me (não falo das «cartas oficiais» basta anotar em dois rabiscos o que for tendo a dizer-me, e depois mete tudo num envelope; duas fls leves custam 4$50, creio. Não quero roubar-lhe um tempo preciosos


José Rodrigues Miguéis/José Saramago Correspondência 1959-1971
Organização e notas de José Albino Pereira
Capa de Rui Garrido
Editorial Caminho, Lisboa Abril 2010.

Sem comentários: